Recomendações

(231)
Gilberto Moreira da Silva
Gilberto Moreira da Silva
Comentário · há 5 meses
Perfeito nobre magistrado e obrigado por entender que o sentido de minhas críticas, em que pese muitas vezes contundentes, é o de ser sempre construtivo e sempre pautada na devida vênia. Eu, assim como Vossa Excelência, também sou um cidadão indignado com a corrupção e principalmente com o caos que a Pátria está vivendo nestes tempos insalubres, com crises sociais e econômicas das mais variadas, até mesmo inseguranças jurídicas – o Sr. bem sabe disso. Já vivi o suficiente para perceber que a esperança esvaiu-se, mas ainda está dentro de minhas íntimas expectativas. Após a vitória nas eleições presidenciais de 2002, em sua primeira entrevista como presidente eleito, Lula afirmou que a “esperança venceu o medo e hoje eu posso dizer para vocês que o Brasil mudou sem medo de ser feliz!” Passados 15 anos daquela quebra de paradigma, percebe-se que o medo foi vencido, mas não ferido de morte e hoje vem paulatinamente ressurgindo no seio de nossa Pátria e matando a esperança, agredindo nossas possibilidades de desejos de sermos felizes. Desejar um País melhor é dever cívico de todos nós e também tê-lo melhor é um direito garantido em nossa Magna Carta em seus direitos fundamentais. Por isso sempre sou muito crítico quando se atropelam tais prerrogativas e vejo com preocupação quando foge-se delas. No mais, entendo que de fato a corrupção está entranhada em nossa sociedade tal como um câncer e já atingindo a metástase, mas não creio que seja culpa dos partidos políticos, mas sim do ser humano que o contaminou toda esta engrenagem. Mudar este caos é possível? Sim, quando atingirmos a maturidade suficiente para podermos expressar o sentido exato da política, qual seja, a ciência da organização, direção e administração de uma nação. Quanto aos casos de corrupção no Judiciário, entendo que pelo cargo que o Sr. ocupa, torna-se complexo formar juízo de valor fora de um contexto processual, mas saiba que há inúmeras situações em que o Judiciário se cala frente as injustiças praticadas, ou em outras frentes toma posicionamentos que ferem princípios estabelecidos em nosso ordenamento jurídico, muitos destes aspectos realizados ou por corporativismo, morosidade e em muitos casos, total despreparo de quem decide. Um fraternal abraço!
Luiz Parussolo
Luiz Parussolo
Comentário · há 5 meses
Na verdade podemos considerar que chegamos ao limite da excrescência humana nos Poderes e que o país foi tomado por marginais quadrilheiros dentro deles, desde o atual presidente a membros do Legislativo e do Judiciário, bem como nas instituições públicas e servidores. Autênticos psicopatas e grande parte de elevada periculosidade e perigosíssimos. Estamos caminhando para um país de entes predadores. Se submeterem todos a uma análise profunda de psiquiatria a maciça maioria terá comprovado psicopatia ou desvio grave de personalidade. E o Brasil precisa urgente criar métodos para impedir o ingresso dessas deformações que são incuráveis tanto na política como nos serviços públicos e até em cursos superiores que lidam com vidas, liberdade e patrimônio, pelo menos. Essa incidência poderá ocorrer devido ao abandono da educação efetiva desde a idade precoce. Platão, defendido por Piaget na década de 1940, defendia e aplicava desde a idade precoce e até os 14 anos os processos chamados de música e de ginástica, os quais nada tem a ver com a arte e o esporte e sim processos para desenvolver o espírito e trazer a tona as virtudes e fazer o domínio, subordinação e sublimação dos instintos primitivos tornando-os em virtude. Emmanuel Kant, assegurado por muitos como o último filósofo racional, assegurou que há necessidade de realizar o renascimento do ser para que possa fazer fluir o espírito e ele tornar-se racional e dotado de entendimento a priori, isto é poder sensibilizar e argumentar atos e fatos. Ser dotado de juízos racionais. A Finlândia possui educação revolucionária e copiada por muitos países. E quanto a isso uma pesquisa britânica publicada em julho p.p. veio confirmar essa verdade. De todos os país avaliados ficamos em terceiro lugar como povo idiota, ganhando apenas de Índia e México. México por exemplo é um país destruído pelo tráfico de drogas e corrupções e existe afirmativa de que o México é o primeiro traficante de drogas e segundo somos nós. Ante tudo o que ocorre no país vejo mais ou menos assim: Tudo isso decorre da falta de discernimento em espírito e da inexistência de espírito de valor, precariedade em juízos racionais. Daí chegarmos à classificação de terceiro povo mais idiota entre os países pesquisados só superando Índia e México e ainda estando entre os mais corruptos do mundo, se não o primeiro. Um povo como o nosso, de raízes genéticas frágeis e aventureiras, só poderá evoluir através de educação plena desde a idade precoce,. para ativar o espírito e criar o homem e a mulher metafísicos, isto é, dotados de razão e entendimento, e desenvolvimento prático, concreto, dentro do trabalho efetivo e pesquisas, não existe outro caminho. Fazer o renascimento a priori, renascer. Enquanto isso não ocorre caminhamos para o caos cada vez mais e a dependência total e subordinação ao conhecimento estrangeiro, como já está em processo muito avançado. Perda de identidade e perda do país.
Novo no Jusbrasil?
Ative gratuitamente seu perfil e junte-se a pessoas que querem entender seus direitos e deveres

ANÚNCIO PATROCINADO

Outros perfis como José

Carregando

José Herval Sampaio Júnior

Entrar em contato